À Flor Da Pele

Esses dias atrás, fui na missa de sétimo dia do avô da minha cunhada..
Foi uma missa especial à ele (não foi como a do meu avô por exemplo, que foi celebrada aqui junto com a de outras pessoas numa missa de domingo) e havia tempo que eu não chorava do tanto que eu chorei.
O Sr. "Pera", como era chamado, era um senhor cheio de vida e que soube viver a sua vida.
Conheci ele e a D. Maria (sua mulher) há 2 anos atrás; e pelos poucos momentos que convivi com eles, pude perceber e conhecer o amor deles de mais de 40 anos, a cumplicidade, a amizade, a integridade de casal..
Coisas que hoje em dia anda ficando difícil de ver; e ainda mais, perceber e sentir isso em tão pouco tempo, com tão pouca convivência com eles.
Sei que os chamava de vô e vó tb, sempre chamei desde o dia que os conheci.

Sempre falo pra quem quiser ouvir, que avós são bençãos nas nossas vidas!
Hoje em dia só me resta a minha avó materna; da qual eu zelo e oro pela vida dela todos os dias!
Porém, já adotei os avós do meu marido, assim como tinha adotado esse casalzinho lindo, por parte da minha cunhada tb.

Voltando..
O post de hoje, é em homenagem a esse senhorzinho, mas também pra refletir..
Eles sempre vinham passear e passar um tempinho bom por aqui.
Algo que eu sinto MUITO por não tê-los visitado dessa vez e tudo aconteceu tão rápido, que só pude revê-los nesse momento tão triste; ela pessoalmente e ele espiritualmente.
Num acaso da vida, aquela tal doença maldita cancer apareceu e como num passa de mágica, levou o Sr. Pera da vida de todos seus entes queridos..

Quando soube da notícia e de todos os updates, meu coração acelerava a cada nova notícia e ao mesmo tempo, se enchia de esperança e muitas orações e pedidos de cura a favor dele.
Mas quem somos nós pra questionar as vontades de Deus?
A história dele e essa trajetória do final da vida, me lembrou muito todo o processo final do meu avô (quem embora tenha ido embora dessa vida de outra forma, assim como o sr. Pera, tentou sua última chance de cura e nunca saiu vivo do hospital).

Sei que no dia daquela missa, desde a nossa chegada na igreja até a saída, eu pude entender completamente o sentimento de estar "a flor da pele".
Parece que eu entrei dentro do coração da D. Maria e sentia cada minuto da dor dela, das filhas, dos netos.
Sem contar aquele Frei! Que senhorzinho sábio e abençoado!
Usou palavras, citações de livros, poesias, bíblia pra falar das poucas horas de convívio que teve com o sr. Pera alguns dias antes dele falecer.

Ele falou algo que tocou profundamente o meu coração: "Dentre muitas visitas minhas às pessoas que estavam a beira da morte, o sr. Pera foi um dos pouquíssimos que vi, partindo feliz! Com a consciência tranquila e o coração feliz; porque ele SOUBE VIVER! Soube o valor das verdadeiras coisas que importam nessa vida! Conquistou tudo que um homem digno sonha em conquistar: um amor verdadeiro, construir uma familia, dar amor e suporte a essa família; e ver essa família crescer e andar com as próprias pernas, dignos e de bom coração; viveu a vida ao máximo e fez tudo que queria fazer! Me desculpe a maneira de falar, mas nunca vi alguém morrer tão lindamente! Queria eu tê-lo conhecido mais cedo pra desfrutar da pessoa boa que ele era! Coisa que eu, um desconhecido, vi e conheci a sua essência em 2 ou 3 dias de convivência. " - Palavras de Frei Nathaniel

Enquanto ele falava, todo mundo se transbordava em lágrimas.
E era inevitável pensar: será que eu estou vivendo o máximo da minha vida todos os dias?
Será que estou dando o meu máximo pra ser feliz sempre e ter/fazer o que eu quero?
Mil coisas passaram pela minha cabeça e realizei que algumas coisas faltam, pra que eu realmente me sinta plena.
E claro, que vem na cabeça, como alguém pode reagir bem, tranquilo a notícia que vai morrer logo?
Ainda tenho muito a aprender mesmo..

De um lado: A força desse sr., a fé, o coração bom, a consciência de que estaria próximo de não ver mais seus entes tão queridos, a aceitação do desconhecido - de todo o coração - e a conformação de ter que sair desse plano..
Do outro lado: A força de uma mulher companheira, que teria que se despedir do seu companheiro de vida, do pilar da sua casa, do seu amado tão querido! Sabia que tinha que ser forte mas ñ imaginava o tamanho da sua dor.

Presenciar isso tudo foi algo surreal pra mim.
Meio que um choque de muitas coisas, mas principalmente, do quanto somos vulneráveis!
E mais ainda, agradecer pela sorte de já ter achado um amor assim.

Enfim,
A gente sempre aprende em todas as situações; mas quando acontece algo dessa forma, parece que o aprendizado é sempre maior.
Agradeçam de VERDADE, por ter alguém que se importe com vc de todo o coração.
Começando de Deus, dos pais, dos filhos, do marido (ou mulher).. e enxerguem a verdadeira riqueza dessa vida e VIVAM!
Deixo todo o meu amor à D. Maria e família! <3

"Não importa em quantos pedaços o seu coração foi partido, o mundo não pára caso vc o conserte..."
 

No comments